O Aquabeat está sendo construído em uma área de 87 mil metros quadrados, com expectativa de receber quase 500 mil pessoas por ano

Minas Gerais vai ganhar mais um complexo turístico aquático. Desta vez, o município de São José da Lapa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), distante apenas 28 quilômetros da Capital, foi escolhido para abrigar aquele que promete ser o maior parque aquático do Estado, o Aquabeat, empreendimento inspirado em famosas atrações nacionais e internacionais. A ALAVANCA ANDAIMES E MÁQUINAS já está fornecendo máquinas, equipamentos e andaimes para a obra.

A implementação ocorrerá em quatro etapas e apenas a primeira delas consumirá aportes de R$ 26 milhões. As obras terão início nos próximos dias. Já o valor total a ser investido no complexo, bem como as demais fases, não foram revelados por questões estratégicas.

De acordo com um dos sócios, Tassar Neto, o paisagismo será um diferencial do complexo turístico, que vai ser instalado em um terreno de 87 mil metros quadrados e contará ainda com um resort. “Temos na nossa equipe de tematização profissionais que passaram por outros parques e irão trazer para o Aquabeat inspirações para o que há de melhor no segmento. Já providenciamos, por exemplo, a compra de 300 pés de cocos e sete toboáguas”, destacou.

O parque vai contar com piscina de ondas dupla, rio lento, toboáguas de adrenalina, áreas infantis, quiosques, restaurantes, choperias e várias outras atrações. E a expectativa é receber quase 500 mil pessoas por ano, uma vez que a capacidade de atendimento será de 6 mil a 8 mil pessoas por dia no local.

Sobre a escolha do município para instalação do complexo, Tassar Neto explicou que trata-se de uma localidade rica em água, ao lado de um parque ecológico e que possui posição geográfica privilegiada, além da proximidade com o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte.

Para o prefeito de São José da Lapa, Diego Álvaro do Santos (Avante), a instalação do empreendimento, que vai gerar 400 empregos diretos e indiretos, vai ajudar a desenvolver um setor até então não explorado na região.

“O nosso município está dentro da região calcária, que desenvolve atividades relacionadas aos segmentos cimenteiro e de calcinação e, junto a isso, aos serviços relacionados. Agora, passaremos a ser um polo turístico, a partir do indutor econômico que vai ser o Aquabeat, que não ficará restrito ao parque, mas impactará também na rede hoteleira, restaurantes e outros negócios que se beneficiem do turismo”, avaliou.

O empreendimento, desenvolvido pelos mesmos construtores do parque aquático Minas Beach, em Raul Soares, na Zona da Mata, já disponibilizou 3 mil títulos para os chamados sócios fundadores, que são os primeiros clientes a adquirir o direito de usufruir da estrutura do parque aquático. Posteriormente, o documento poderá ser vendido para qualquer outra pessoa, o que pode se tornar uma oportunidade para investidores.